sexta-feira, 10 de março de 2017

Chegou a hora de levantar as bandeiras








Congresso da CONTAG debaterá grandes temas e aprovará deliberações que visam fortalecer o sindicalismo rural e a agricultura familiar

A cada quatro anos a CONTAG reúne as suas lideranças e trabalhadores e trabalhadoras rurais de todos os estados brasileiros para avaliar, propor e deliberar estratégias e ações do Movimento Sindical de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais (MSTTR). O 12º Congresso Nacional de Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares (12º CNTTR), a ser realizado no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília, de 13 a 17 de março de 2017, será o primeiro congresso após o processo de dissociação da categoria dos assalariados e assalariadas rurais. Agora, a CONTAG representa especificamente os agricultores e agricultoras familiares.

Com o lema “Levantar as bandeiras de luta e fortalecer a organização sindical da agricultura familiar”, a CONTAG propõe aos delegados e delegadas do 12º CNTTR o empenho para que seja feito um profundo debate e que sejam deliberadas estratégias e ações unificadas visando um sindicalismo mais forte e combativo na defesa de políticas públicas que venham promover a organização da produção, melhorar a renda e a qualidade de vida dos agricultores e agricultoras familiares, na perspectiva de termos no futuro um campo com gente e um desenvolvimento rural mais justo, solidário e sustentável.

“O grande desafio é fazer com que o 12º CNTTR nos fortaleça e nos anime a construir um sindicalismo mais combativo e aguerrido na defesa dos direitos e interesses dos agricultores(as) familiares, pois não aceitaremos perder direitos. Também queremos aperfeiçoar e fortalecer a nossa organicidade sindical, pois é necessário termos um movimento sindical mais articulado e unificado para que a sua estrutura funcione com a dinâmica necessária para responder, verdadeiramente, as demandas do homem, da mulher e dos(as) jovens do campo”, reforça o presidente da CONTAG, Alberto Broch, candidato à vice-presidente e secretário de Relações Internacionais na chapa registrada.

Com o sentimento de superar esses desafios, foi conduzido um processo de diálogo e negociação com os(as) dirigentes das Federações para a composição de uma chapa única, com grande representatividade e participação de todas as regiões e com o cumprimento da paridade, participação da terceira idade e de, no mínimo, 20% de jovens. Denominada FORÇA e LUTA: NENHUM DIREITO A MENOS, a chapa unitária é encabeçada pelo pernambucano Aristides Santos, atual secretário de Finanças e Administração da CONTAG.

“Sentimo-nos honrados com a missão de presidir a próxima Direção da CONTAG e coordenar as lutas dos trabalhadores e trabalhadoras rurais. Com os desafios que enfrentaremos na conjuntura atual, será necessária a formulação e execução coletiva. O Congresso é um importante momento para tirarmos grandes e unitárias resoluções. Seguiremos reafirmando os nossos direitos e lutando por uma Agricultura Familiar cada vez mais forte e reconhecida pela sociedade”, ressalta Aristides Santos.

Organização do 12º CNTTR
O 12º Congresso da CONTAG começou a ser organizado há mais de um ano com a aprovação do regimento interno, da identidade visual, produção das peças gráficas e de divulgação, com a publicação do Edital de Convocação do Congresso e das Eleições da CONTAG, inscrição dos delegados e delegadas, envio de convites, com as demais providências das equipes de trabalho, entre outras tarefas que visam o sucesso na realização do mesmo.

A Secretaria Geral é uma das áreas responsável por esse processo organizativo do Congresso, que cuida de toda a documentação, credenciamento, entre outras funções. Segundo a secretária geral, Dorenice Flor da Cruz, a organização do 12º CNTTR está sob controle e a expectativa é que este seja um grande momento para o MSTTR. “Estamos esperando um público de 2.400 pessoas, sendo a maioria composta por delegados e delegadas de todos os estados brasileiros, mais a nossa equipe de apoio, convidados(as) e observadores(as). Estamos montando uma grande estrutura para receber bem todos e todas, dando atenção também à metodologia do Congresso, para que todos(as) participem e estejam sempre animados(as), com disposição para o debate. E já comemoramos o fato de termos conseguido atingir a meta de inscrição de delegados e delegadas cumprindo a paridade de gênero, que foi uma deliberação do nosso congresso anterior. Tenho certeza que seguiremos avançando”, destaca a dirigente.
FONTE: Assessoria de Comunicação CONTAG - Verônica Tozzi