segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

O TITULAR DESTE BLOG DESEJA UM FELIZ 2014 - PALAVRA DE UM AGRICULTOR NORDESTINO


Aos santos lá do céu
Peço luz da inspiração
Pra falar do ano novo
Que chega aqui no sertão
Terra de muitos desejos
Mais sei que os sertanejos
Pedem chuvas nesse torrão

2013 se vai
2014 irá começar
Que seja de realizações
 Para o povo do meu lugar
Sofridos pela estiagem
Gente de muita coragem
Que querem o chão capinar

2014 nos traga
A benção do Salvador
Nos liberte dessa seca
Que maltrata o agricultor
Ainda desima nosso gado
Que morre desolado
Gemendo e sentindo dor

O ano novo vai chegar
E para nós a esperança
De um ano bem melhor
De fartura e confiança 
Fartura de alimento
Confiança no andamento
Dessa sonhada mudança 

  Um ano vai se entregando
Meia-noite é transição
Quando outro ano nasce
  É grande a comemoração
Nessa hora pedimos a Jesus
Paz, alegria, saúde e luz
Para o nosso querido irmão

Eu vou pedir esse ano
À sagrada providência
Que dê ao povo saber
Aos políticos consciência
Para o povo poder
Exigir que é nosso dever
O combate a violência

Queremos também saúde
Trabalho e educação
Para que nosso povo
Possa ter condição
Um sonho de verdade
Que possa virar realidade
 Não só em tempo de eleição

Como na caatinga acontece
Catingueira, jurema e juazeiro
Renovando sua folhagem
Para chegada de janeiro
Que se renove nosso povo
Na busca de um mundo novo
De um sonho verdadeiro

Ao povo de Angicos e região
Quero agora abraçar
De modo bem cordial
Um futuro melhor desejar
Deus abençoe nossa terra
Nesse ano que encerra
E no outro que vai começar
Que tenhamos a felicidade
De ter uma cidade
Bem melhor de se morar 

Aos ouvintes e leitores do meu programa
Dos sítios e das cidades
Quero desejar com carinho
Muita paz e felicidades
Nesse ano que se apróxima
Farei muito mais noticias
Falando das necessidades

Do povo do meu sertão.

FELIZ ANO NOVO - 2014

STTRs e Pólos Sindicais continuam o debate pela base rumo ao 9º Congresso da FETARN





Amplia o numero de Sindicatos de Trabalhadores e Trabalhadores Rurais filiados a Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado do Rio Grande do Norte - FETARN que vem debatendo coletivamente os rumos da Federação e a construção de seu 9º Congresso que se realizará em fevereiro de 2014. A primeira reunião aconteceu na sede do Sindicato da Lavora em Mossoró no ultimo dia 20, onde participaram Sindicatos organizados em cinco pólos sindicais e no dia 27 foi realizada a segunda reunião, na sede do Sindicato da Lavora de Trabalhadores Rurais de Açu, onde ampliou o número de Sindicatos presentes e dessa vez mais um pólo sindical, totalizando assim seis pólos engajados.

Participaram sindicatos dos pólos regionais do Médio Oeste, vale do Açu/Mossoró, Sertão Central, Mato Grande, Grande Natal e Canavieiro. A próxima reunião acontecerá dia 10 de janeiro no município de Lajes e a expectativas da comissão organizadora composta pelos coordenadores dos pólos sindicais é que cada vez mais esse número de participantes e Sindicatos aumente.








fonte do blog de jocelino dantas

Noticia boa que pode cai do céu: Meteorologistas dão previsão de bom inverno em 2014



Previsão dos meteorologistas é de chuva normal no interior do estado, durante o primeiro trimestre de 2014, e pode representar um índice três vezes maior do que o que foi registrado este ano

Após uma longa estiagem no sertão potiguar, os meteorologistas esperam que chova no primeiro trimestre de 2014 três vezes mais que a quantidade precipitada durante o mesmo período desse ano. A previsão indica que no interior do estado – entre as mesorregiões do oeste, central e leste potiguar - deve chover normalmente no próximo ano, atingindo uma média de 450 milímetros. Em 2013, a média nos três primeiros meses foi de 145 milímetros.

A previsão foi formulada após a 1ª Reunião de Órgãos Meteorológicos do Nordeste, realizada em Campina Grande, reunindo meteorologistas de estados como Pernambuco, Ceará e Rio de Grande do Norte nos últimos dias 19 e 20 de dezembro.

Segundo Gilmar Bristot, meteorologista da Empresa de Pesquisa Agropecuária (Emparn), as chuvas esperadas são importantes para os cidadãos do interior. “Esta quantidade de chuvas tem um valor considerável, principalmente no semiárido nordestino, que passou esse ano pela seca”, avalia. Gilmar foi um dos participantes da reunião e disse que a previsão feita não é conclusiva, mas representa a experiência de profissionais de todo o país.
“Houve discussões e comparações com dados referentes a 2012, e esperamos que 2014 seja um ano dentro da normalidade, o que significa quantidades consideráveis de chuvas”, alegou Gilmar.

Apesar da previsão não ser conclusiva, Gilmar disse que existem dois indícios que se relacionam e confirmam a tendência de chuvas para o próximo ano. O primeiro deles, apontou o meteorologista, é o rebaixamento da temperatura do oceano Atlântico no hemisfério norte. “Diferente do comportamento dos últimos dois anos, a temperatura do oceano está melhorando. Fator favorável à incidência de chuvas”, contou.

Outro fator que pode contribuir para as chuvas ao longo do ano é a velocidade do vento em dezembro. Segundo Gilmar, os dois últimos anos foram de ventos fracos, o que impedia a vinda da Zona de Convergência Intertropical, efeito natural responsável pela precipitação nos três primeiros meses do ano na região nordeste. O meteorologista disse que os ventos estão mais fortes neste mês.

“Quando as águas do hemisfério norte esfriam, elas trazem ventos mais fortes, os chamados ventos alísios, que empurram a Zona de Convergência em direção à região Nordeste, trazendo chuvas”, explicou Gilmar.

Além disso, esses dois fatores já estão atuando em favor das chuvas durante novembro e dezembro desse ano. Com a mudança na temperatura do oceano Atlântico e os ventos mais fracos foi possível a formação do Vórtice Ciclônico de ar Superior no início do mês de novembro. O fenômeno natural foi responsável pelas precipitações de chuva no interior do estado e a chuva de granizo na cidade de Santana do Seridó.

Os fatores que apontam um 2014 normal, com chuvas regulares, são os mesmos que justificam a seca que o estado passou nos anos de 2012 e 2013. De acordo com Gilmar, a temperatura do oceano e a velocidade dos ventos foram essenciais para que as chuvas pouco caíssem no interior do estado potiguar.

“Com o oceano mais quente e, consequentemente, com ventos mais fracos, os últimos dois anos foram de poucas precipitações”, alegou o meteorologista.

No dia 16 de março desse ano a governadora Rosalba Ciarlini decretou “situação de emergência por seca” em 144 dos 167 municípios do estado. Com o decreto, o governo fez convênio com a Defesa Civil para garantir o abastecimento das cidades que sofriam com a seca. Em função da situação, muitos agropecuaristas viram seu rebanho morrer e sua lavoura destruída.

No entanto, com pouca água nas barragens e nas cisternas, a população teve que comprar, inclusive com dinheiro do Bolsa Família, água de carros-pipa. No dia 19 de setembro, após o primeiro decreto expirar, a governadora Rosalba Ciarlini decretou novamente “situação de emergência por seca” em mais seis municípios do estado.

 Fonte: Novo Jornal
fonte do blog de jocelino dantas

Confira probabilidades de acertar na Mega-Sena da Virada


Do G1 – A Mega-Sena da Virada pode pagar uma bolada de R$ 200 milhões para quem acertar as seis dezenas premiadas. O sorteio ocorre no dia 31 de dezembro, às 20h25 (horário de Brasília), no estúdio da Rede Globo, em São Paulo.
As apostas podem ser feitas até as 14h (horário de Brasília) do dia 31 de dezembro em todas as lotéricas do país. Para a aposta simples, cujo preço é R$ 2, a probabilidade de ganhar o prêmio milionário é, segundo a Caixa, de 1 em 50.063.860 (veja tabela de probabilidades abaixo).
Se aplicado na poupança, o prêmio de R$ 200 milhões renderia cerca de R$ 1,2 milhão por mês, o que equivale a R$ 40 mil por dia. O prêmio da Mega da Virada não acumula. Caso não haja ganhador com as seis dezenas sorteadas, o valor será somado ao rateio dos acertadores de cinco números, e assim por diante.
imagem

fonte do blog de genilza pereira

Ivonete Dantas assumirá vaga no Senado depois do recesso

http://www.robsonpiresxerife.com/

ivonete senadoO senador Garibaldi Alves, o pai, pedirá licença do Senado logo após o recesso parlamentar no início de fevereiro, para tratamento de saúde. Isso abre espaço para a segunda suplente de Rosalba Ciarlini, a caicoense Ivonete Dantas, que volta a ocupar o cargo pela segunda vez.
fonte do blog de fernando a verdade

STJD CONFIRMA REBAIXAMENTO DA PORTUGUESA E PERMANÊNCIA DO FLUMINENSE


Advogado da Portuguesa, João Zanforlim, não convenceu os auditores
A decisão da Justiça Desportiva que deu ao Fluminense o direito de disputar a série A em 2014 foi mantida pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). Em sessão na manhã desta sexta-feira (27), todos os oito auditores presentes foram contrários aos argumentos dos advogados de Portuguesa e Flamengo, mantendo a perda de pontos da Lusa e alterando o resultado final do certame.

Portuguesa e Flamengo foram punidos pelas escalações de jogadores que foram suspensos pela Justiça Desportiva. As equipes argumentaram que havia controvérsias na publicação e no momento do cumprimento da pena. No caso da Portuguesa, que teve o recurso julgado, o advogado João Zanforlim defendeu que a publicação do BID de suspensão da CBF, onde não havia o nome de Héverton - jogador suspenso que ensejou a disputa judicial -, deveria eximir a Lusa da perda de pontos. Contudo, a tese não foi acatada.

"Não estamos aqui discutindo o dolo. Estamos discutindo se a regra foi ou não cumprida", disse o procurador do STJD Paulo Schimit.

No entendimento da Corte, a Portuguesa sabia da suspensão e foi representada por advogados no julgamento, sendo necessário o cumprimento imediato da pena. Apesar dos argumentos diversos, evocando, inclusive, o Estatuto do Torcedor, a Portuguesa não conseguiu o convencimento dos auditores, sendo rebaixada pela Justiça Desportiva e garantindo a permanência do Fluminense na série A.
 Tribuna do Norte
fonte do blog de carlos costa

RONALDO CONSEGUE LIMINAR E CONTAS NOVAMENTE NÃO SÃO JULGADAS


O que estou escrevendo aqui já está se tornando cansativo, enfadonho...
Isso com relação às contas reprovadas do ex-prefeito de Angicos, Ronaldo Teixeira [PSB].

As contas já vieram, desde abril, e numa manobra foram enviadas ao TCE, no fim de junho.

Depois de quase quatro meses, retornaram sem mudanças, e o Tribunal chegou até a chamar a atenção do setor jurídico da câmara de Angicos, por ter agido daquela maneira.

Novamente as contas passaram por todo um processo, e ao término deste, dia da votação, eis que novamente as contas foram contestadas, agora pelo ex-gestor Ronaldo, que ao exaurir todos os caminhos e recursos ( tentou conquistar votos de vereadores, e sem sucesso, visitou líderes políticos, familiares destes e até idosos, mas tudo sem muito sucesso), e então passou a buscar subterfúgios para escapar da condenação já imposta pela Corte de Contas do estado.

E nesta sexta feira, 27, através de uma liminar conseguida junto a uma juíza de plantão do poder judiciário da Comarca de Natal, que parcialmente deferiu o pedido e suspendeu a votação em plenário do processo de condenação, Ronaldo Teixeira conseguiu mais um tempo pra respirar.
Já dizem alguns vereadores que ele está retardando o momento agonizante que vive.

As contas voltam novamente ao Tribunal de Contas e eu volto a escrever sobre isso na próxima postagem, neste sábado ainda, depois de consultar profissional da área jurídica.

fonte do blog de carlos costa

BANDA ENCANTÚS EM ANGICOS - MAIS QUE DEMAIS!

PESQUISA APONTA WILMA EM PRIMEIRO LUGAR PARA GOVERNO DO RN


Por Aluísio Lacerda e Ricardo Rosado (Portalnoar)
O Portal Noar e o Instituto Consult realizaram a segunda rodada de pesquisas – de um total de 7 – no Rio Grande do Norte para medir o grau de aprovação da administração do Governo do Estado, da Prefeitura de Natal e captar, neste momento, o sentimento do eleitor para as eleições de 2014.
A pesquisa, contratada pelo Portalnoar, ouviu 1.700 pessoas em 58 municípios do RN e foi realizada entre os dias 22 e 24 de dezembro de 2014.
Nesta segunda rodada de pesquisas foram feitos diversos cruzamentos possíveis entre lideranças políticas para os cargos de governador e de senador.
Na disputa pelo Governo do Estado os nomes de Wilma de Faria (PSB), Garibaldi Filho (PMDB), Fernando Bezerra (PMDB), Henrique Eduardo Alves (PMDB), Robinson Faria (PSD), Carlos Eduardo (PDT), Fernando Mineiro (PT) e da governadora Rosalba Ciarlini (DEM) foram colocados em confronto, numa sequência de cruzamentos entre cada um deles.
Para a eleição do Senado a pesquisa incluiu nomes da vice-prefeita Wilma de Faria, da deputada Fátima Bezerra, do deputado federal Henrique Eduardo Alves e do vice-governador Robinson Faria.
A atual vice-prefeita de Natal, Wilma de Faria, aparece liderando em diversos cruzamentos, mas há uma surpresa interessante quando a pesquisa indagou sobre uma disputa para o Senado entre ela e a deputada federal Fátima Bezerra.
Os números indicam um empate técnico entre as duas – Wilma com 39,59% e Fátima Bezerra com 37,53% – mostrando que ambas precisarão de novos aliados para caminhar em 2014. Na pesquisa de novembro, Wilma tinha 6 pontos percentuais à frente da deputada.
Veja abaixo as simulações:
Wilma de Faria (PSB) – 39,29%
Garibaldi Filho (PMDB) – 32,65%
Rosalba Ciarlini (DEM) – 4,12%
Wilma (PSB) – 41,47%
Garibaldi (PMDB) – 34,29%
Wilma (PSB) – 46,35%
Henrique (PMDB) – 24,18%
Wilma (PSB) – 46,24%
Fernando Bezerra (PMDB) – 11,24%
Robinson Faria (PSD) – 10,94%
Wilma (PSB) – 39,35%
Henrique (PMDB) – 18,59%
Robinson (PSD) – 10,82%
Carlos Eduardo (PDT) – 34,53%
Robinson (PSD) – 21,53%
Rosalba (DEM) – 6,35%
Robinson Faria (PSD) – 25, 47%
Fernando Bezerra (PMDB) – 15,47%
Fernando Mineiro (PT) – 9,35%
Rosalba Ciarlini (DEM) – 7,41%
Veja matéria completa AQUI.
FONTE: Ctrl C e Ctrl V blog Carlos Santos
fonte do blog de aclecivam soares

NIVALDO GOMES FAZ UM EXCELENTE DISCURSO EM SESSÃO EXTRAORDINÁRIA REALIZADA NESTA SEXTA, 27


O vereador Nivaldo Gomes (PV) usou ontem da tribuna no plenário da Câmara Municipal de Angicos para fazer pronunciamento público político do qual se encontravam duas matérias em pauta.
O vereador afirmou estar sabendo de conversas em ruas e esquinas por parte de pessoas que não tem compromisso com Angicos de que ele apenas faz no poder legislativo angicano o que seu irmão, o vice-prefeito Deusdete Gomes, vos pede… Porém, em um discurso firme e contundente que sabe o que esta falando e que tem habilidade com a oratória o vereador afirmou que se existe uma pessoa que segue e defende o povo verdadeiramente sem precisar de nenhum líder político chama-se Nivaldo Gomes. (mais…)

fonte do blog de aclecivam soares

Com recursos próprios, Prefeitura de Angicos por meio da Secretaria de saúde adquiri mais um micro – ônibus.


A Prefeitura Municipal de Angicos, RN, junto com a Secretaria Municipal de Saúde, adquiriu com recursos próprios, mais um micro – ônibus, desta vez, para atender a demanda de Transporte da Equipe de Profissionais do PSF, no deslocamento para as comunidades rurais do município.

O resultado do certame licitatório referente ao pregão presencial numero 032/2013, foi publicado nesta sexta-feira, 27, dando transparência a ganhadora da licitação de um único item global tipo (Micro - ônibus) orçado em 99.000,00 (noventa e nove mil reais). A empresa vencedora apresentou o menor preço global, preenchendo todas as especificações requeridas.
Fonte do blog de angicos noticias

Sob sol escaldante e pouca água, agricultores nordestinos produzem frutas de alta qualidade com o gotejamento

agricultura_frutas_sertao (Foto: Ernesto de Souza/Ed. Globo)

 







A temperatura estava próxima a 37 graus célsius e o solo estalava de seco na frenética Mossoró, cidade localizada na região oeste do Rio Grande do Norte, a 285 quilômetros de Natal. Em 2012 e 2013, a chuva veio em gotas e a seca é das mais abrasivas dos últimos 50 anos. O gado morria de sede, enquanto carneiros e cabras, mais resistentes, se alimentavam dos arbustos torrados pelo sol nordestino.
Cortada pela BR-304, que liga Mossoró a Fortaleza, no vizinho Ceará, é nessa região semiárida, considerada adversa ao desenvolvimento de lavouras, que tecnologias avançadas permitem que frutas como melão, melancia, goiaba, maracujá, banana e mamão cresçam viçosas e doces e ganhem a rubrica “tipo exportação” na embalagem. Além disso, a produção é em escala e durante os 12 meses do ano. Da estrada, repleta de caminhões transportando frutas, podem ser avistados os mantos verdes das plantações circundados pela terra arenosa em Tibau (RN) – o mar está próximo dali. Parece miragem. A maior parte dos frutos é exportada para os exigentes mercados da Europa, principalmente, dos EUA e Oriente Médio. Neste ano, a cobiçada China começou a importar e tornou real um sonho antigo dos fruticultores.
A tecnologia que permite o “milagre” de se colher frutos nobres é a irrigação por gotejamento. Sem ela, seria impossível aos agricultores vencerem as condições climáticas, agravadas agora pela estiagem prolongada. Também são decisivos o trabalho sol a sol do sertanejo e a assistência de órgãos como Sebrae-RN, Universidade Federal do Semiárido e prefeitura municipal. Para se ter ideia, somente com exportações de melões, carro-chefe dos negócios, o Rio Grande do Norte faturou US$ 54 milhões em 2012, para uma receita nacional de US$ 134,1 milhões.
Já foi melhor: em 2007, o Estado chegou a movimentar US$ 85,2 milhões. A queda nas vendas deve-se à crise econômica europeia, mas tem uma novidade animadora: a desaceleração dos embarques não assustou, por conta do mercado interno, que cresceu. E este ano emitiu sinais tímidos da recuperação europeia, e a importação de outros mercados conquistados foi incrementada. O Estado vendeu US$ 16,5 milhões de melões no primeiro semestre – foram US$ 13,9 milhões em igual período em 2012. Já o Ceará saltou de US$ 20 milhões para US$ 24,5 milhões.
agricultura_frutas_sertao (Foto: Ernesto de Souza/Ed. Globo)

  
Segundo Rui Sales Júnior, pró-reitor de pesquisa e pós-graduação da Universidade do Semiárido, outras tecnologias modernas, como sementes híbridas, insumos de alto rendimento, embalagens rigorosas, integração lavoura-floresta e o chamado “mulching” (cobertura plástica que garante melhor produtividade às plantas), são usadas tanto nas grandes como nas médias e pequenas fazendas e colaboram para minimizar os custos.
Entre os pequenos produtores, o professor cita como exemplo os do assentamento Oziel Alves, a 28 quilômetros de Mossoró, que desafiaram a seca e transformaram o solo inóspito num “oásis”. Lá reside o casal Jair Alves de Andrade, de 39 anos, e Adriana Andrade, de 34. Eles são assentados do Oziel Alves desde 2001, quando 132 famílias ocuparam a propriedade. Hoje, segundo Adriana, apenas seis delas cultivam uma área total de 1.600 hectares, incluindo reserva legal, e produzem melão das variedades amarelo, pele-de-sapo, cantaloupe, além de melancia, banana orgânica e tomate.
Toda a semana são plantados 3 hectares de melão, sendo 30% negociados no mercado interno (seguem para Natal, Fortaleza e São Paulo) e os 70% restantes exportados para Inglaterra, Holanda, Portugal e Espanha pelos portos de Mucuripe, em Natal, e Pecém, em Fortaleza, que ficam a cerca de 250 quilômetros dali. “Temos o certificado GlobalGap, cujas normas internacionais são rígidas em relação ao meio ambiente, à segurança e ao bem-estar dos trabalhadores. O diploma abre mercado aos nossos produtos, que são ainda rastreados”, diz Adriana.
Usada em 100% da lavoura no Osiel Alves, a irrigação por gotejamento permitiu que a agricultura no Semiárido vencesse o estágio primitivo, quando o caju era a estrela dos pomares, ganhasse perfil moderno e transformasse o sertanejo num empreendedor. Foi uma “revolução”, lembra Francisco de Paula Segundo, subsecretário do Trabalho da prefeitura de Mossoró. Pelo sistema, explica ele, a água é levada sob pressão por tubos. Depois, é aplicada no solo por meio de emissores na raiz da planta frequentemente e em baixa intensidade. “Sua eficiência chega a 95%. Não há desperdício de água, que por aqui é o bem mais prezado”, afirma.
agricultura_frutas_sertao (Foto: Ernesto de Souza/Ed. Globo)

 







E o Nordeste avançou ainda mais quando passou a utilizar irrigação com fertilização e quimigação. A lavoura não recebe apenas água. É irrigada com água e nutrientes ao mesmo tempo e na dose certa para o seu desenvolvimento, e, no caso da quimigação, os defensivos são colocados juntos. Francisco diz que a tecnologia do gotejamento veio de Israel, onde a população foi obrigada a domar áreas desérticas a fim de produzir comida para seu sustento.
Os assentados do Oziel Alves estão colhendo 2.100 caixas de 13 quilos de melão por hectare, uma boa produtividade, diz Adriana, que é agrônoma. O mercado cotava a R$ 19 a caixa, valor que cobre os custos e deixa um lucro líquido razoável. O melão é plantado junto a culturas perenes, como mamão e banana, o que garante renda aos assentados o ano inteiro.
Até a moderna e eficiente técnica da integração lavoura-pecuária já chegou ao Nordeste. No assentamento de Adriana, os resíduos das frutas engordam carneiros e ovelhas de corte. A pecuária reforça a receita. Não há custos com alimentação. Os animais são comprados magros e vendidos gordos.
O abastecimento de água é feito por meio de poços artesianos. No Osiel Alves, alguns deles têm profundidade de 100 metros, o que mostra a dificuldade dos fruticultores para chegar aos lençóis freáticos.
Este ano choveu apenas 200 milímetros no oeste potiguar, onde Mossoró está plantada. O ideal seria 600 milímetros ou mais. Pior: em 2013, a região foi vítima da chamada seca verde. A chuva cai em abundância num período curto de tempo, é mal distribuída e depois cessa drasticamente. Quem não possui tecnologia não consegue plantar, o que vale também para o pecuarista, cuja boiada morre.
agricultura_frutas_sertao (Foto: Ernesto de Souza/Ed. Globo)








 Famosa
Maior produtora de melão de todo o mundo, até a Agrícola Famosa foi obrigada a mudar sua estratégia neste ano. Sediada parte em Icapuí (CE), parte em Tibau (RN), na divisa dos dois Estados, a empresa possui nove unidades de produção espalhadas pela região e em Pernambuco. “A estiagem castiga. A água baixou em alguns poços artesianos e secou em outros. Houve concentração de sal na água, prejudicando a produtividade das frutas”, afirma Luiz Barcelos, proprietário. “Transferimos então uma parte do plantio para Pernambuco.”
Tudo na Famosa é superlativo. A cada semana, 280 contêineres refrigerados e carregados de frutas rumam para o porto. Nos últimos anos, com a explosão da demanda interna por frutas, o número de contêineres que transporta a produção, que era de dez em 2008, saltou para 100 hoje. “No início, eram plantados 3 hectares de melão a cada dez dias. Hoje, são 250 hectares por semana e a colheita se dá 60 dias depois, ou seja, o giro é curto e imprime velocidade às atividades, conduzidas por 3 mil trabalhadores registrados.”
Somente na sede, que tem 8.000 hectares, além do melão e da melancia, semeados em 3.000 hectares, são plantados mamão (500 hectares), banana (500), maracujá (500), aspargos (100) e tomate-cereja (100). O grupo engorda 3.500 cabeças de boi e tira 2.000 litros de leite ao dia. Os animais são alimentados com as sobras do melão, sem custos.
As exportações de frutas brasileiras crescem. De 2000 a 2012, o resultado saltou de US$ 50 milhões para US$ 619 milhões, e os Estados do Nordeste lideram. Melão, manga e uva  são as que mais faturaram.
Dois outros plantadores de frutas de Mossoró são otimistas em relação ao futuro e investem no crescimento de suas lavouras. João Manoel Lopez Lima, de 49 anos, colheu 3.600 toneladas de melão em 2012, além de melancia, em sua propriedade de 350 hectares na zona rural do município. Em 2013, ele dobrou a produção.
Já  Francisco Vieira da Costa, de 50 anos e também de Mossoró, é um dos poucos a operar com contratos pré-fixados com os países europeus, caso da França, que ele considera o mais exigente do mundo. Essa condição permite exportar um volume de frutas padronizado nas caixas. “É do tamanho que a Europa pede”, diz ele, que embarcava 6.000 toneladas de melão em 2008, volume que saltou para 12.000 toneladas neste ano.

Medidas da presidenta Dilma inovam a reforma agrária


Medidas da presidenta Dilma inovam a reforma agrária
A decretação de 100 novas áreas para o programa de reforma agrária, novas regras de financiamento para os assentados, a solução definitiva do endividamento e a titulação mais acessível inovam esta política pública, que já garantiu acesso à terra a mais de 1,2 milhão de famílias em toda a sua história.   As mudanças chegam a partir da publicação, nesta sexta-feira (27) no Diário Oficial da União, de decretos desapropriatórios assinados pela presidenta Dilma Rousseff que destinam mais 92 ár... Leia mais