segunda-feira, 31 de agosto de 2015

CONTAG participa de seminário de avaliação das ações em Assistência Técnica e Extensão Rural na última década


 


O funcionamento efetivo da Agência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (Anater) – cuja previsão de início é o primeiro semestre de 2016 -, a universalização da assistência técnica para todos os municípios brasileiros e a adequação desse serviço para as atuais necessidades da agricultura familiar. Para o presidente da CONTAG, Alberto Broch, esses são os principais desafios da assistência técnica e extensão rural no Brasil hoje.

O presidente da CONTAG participou hoje da mesa de abertura do Seminário Nacional de Avaliação da ATER “Balanço das Ações na Última Década e Novos Desafios”, promovido pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) de hoje (31) até quarta-feira (2) na Embrapa, em Brasília (DF). O objetivo é elaborar um panorama sobre as ações da última década para subsidiar o trabalho da Anater. “São muitos os desafios e a CONTAG está pronta para contribuir com a construção de políticas para esse tema e cobrar, por meio de suas mobilizações e negociações, a efetiva implementação dos projetos”, afirmou Alberto Broch.

Durante os três dias o seminário contará com três painéis nos quais representantes do governo federal e movimentos sociais realizarão um balanço das ações relacionadas à ATER, fazendo um panorama dos desafios e gargalos, e também do que foi bem sucedido e pode ser desenvolvido. Na tarde de hoje (31) serão realizados os painéis “ATER Pública: ações desenvolvidas, avanços, limites e desafios” – do qual participarão seções do MDA, Embrapa, Cosepa, Ceplac e do Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA – e também o painel “Executoras de ATER Pública: Ações desenvolvidas, avanços, limites e desafios” – do qual participarão a Asbraer, Ceffas, Articulação do Semiárido, Articulação Nacional de Agroecologia, Emplanta e Cenater/Unicafes/Unicopas.

Amanhã (1) a CONTAG participará do painel “Gestão Social da ATER: Ações desenvolvidas, avanços, limites e desafios”, do qual participará também a Fetraf, a Fazer, a Via Campesina, o movimento de Mulheres Camponesas e de Povos e Comunidades Tradicionais. Também haverá espaço para a síntese dos painéis e para a realização de Grupos de Trabalho que se reunirão para discutir os “Desafios da ATER”. O resultado dos grupos de trabalho serão apresentados na quarta-feira (2), dia em que será realizada uma Plenária e apresentados os encaminhamentos do seminário.

20 anos do Programa Nacional d Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf)

A abertura do seminário foi também oportunidade para apresentação do livro “Vinte Anos do PRONAF, 1995-2015 – Avanços e Desafios”, do consultor da FAO Valter Bianchini, que já foi secretário de Agricultura Familiar do MDA entre 2003 e 2007.

Para o presidente da CONTAG, Alberto Broch, o movimento sindical do campo precisa comemorar os 20 anos do Pronaf e ter orgulho de contribuído para construir esse programa. “Agora precisamos valorizar essas conquistas, mas ao mesmo tempo, ter a humildade de saber que precisam ser repensadas, porque em duas décadas a realidade mudou e políticas precisam de redirecionamento para que elas possam efetivamente contemplar o conjunto da agricultura familiar brasileira, especialmente a diversidade regional e ambiental que temos no Brasil”, afirmou.

Alberto Broch destaca ainda que é necessário avançar na questão da agregação de valor da produção por meio da agroindustrialização. “Precisamos sair das políticas só de crédito, para passar para a politica da transformação, que é a gente produzir nossos produtos por meio da agroindustrialização, além de entrar na comercialização”. É nesse processo em que a assistência técnica e extensão rural se faz fundamental. “Daí a importância desse seminário, eu espero que ajude para que a Anater realmente possa funcionar com muita força e realmente ajudar a agricultura familiar em todas as dimensões e também na questão das agroindústrias”, explicou.

CONTAG participa de seminário de avaliação das ações em Assistência Técnica e Extensão Rural na última década 

O funcionamento efetivo da Agência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (Anater) – cuja previsão de início é o primeiro semestre de 2016 -, a universalização da assistência técnica para todos os municípios brasileiros e a adequação desse serviço para as atuais necessidades da agricultura familiar. Para o presidente da CONTAG, Alberto Broch, esses são os principais desafios da assistência técnica e extensão rural no Brasil hoje. 
 
O presidente da CONTAG participou hoje da mesa de abertura do Seminário Nacional de Avaliação da ATER “Balanço das Ações na Última Década e Novos Desafios”, promovido pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) de hoje (31) até quarta-feira (2) na Embrapa, em Brasília (DF). O objetivo é elaborar um panorama sobre as ações da última década para subsidiar o trabalho da Anater. “São muitos os desafios e a CONTAG está pronta para contribuir com a construção de políticas para esse tema e cobrar, por meio de suas mobilizações e negociações, a efetiva implementação dos projetos”, afirmou Alberto Broch.
 
Durante os três dias o seminário contará com três painéis nos quais representantes do governo federal e movimentos sociais realizarão um balanço das ações relacionadas à ATER, fazendo um panorama dos desafios e gargalos, e também do que foi bem sucedido e pode ser desenvolvido. Na tarde de hoje (31) serão realizados os painéis “ATER Pública: ações desenvolvidas, avanços, limites e desafios” – do qual participarão seções do MDA, Embrapa, Cosepa, Ceplac e do Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA – e também o painel “Executoras de ATER Pública: Ações desenvolvidas, avanços, limites e desafios” – do qual participarão a Asbraer, Ceffas, Articulação do Semiárido, Articulação Nacional de Agroecologia, Emplanta e Cenater/Unicafes/Unicopas.
 
Amanhã (1) a CONTAG participará do painel “Gestão Social da ATER: Ações desenvolvidas, avanços, limites e desafios”, do qual participará também a Fetraf, a Fazer, a Via Campesina, o movimento de Mulheres Camponesas e de Povos e Comunidades Tradicionais. Também haverá espaço para a síntese dos painéis e para a realização de Grupos de Trabalho que se reunirão para discutir os “Desafios da ATER”. O resultado dos grupos de trabalho serão apresentados na quarta-feira (2), dia em que será realizada uma Plenária e apresentados os encaminhamentos do seminário.
 
20 anos do Programa Nacional d Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf)
 
A abertura do seminário foi também oportunidade para apresentação do livro “Vinte Anos do PRONAF, 1995-2015 – Avanços e Desafios”, do consultor da FAO Valter Bianchini, que já foi secretário de Agricultura Familiar do MDA entre 2003 e 2007.
 
Para o presidente da CONTAG, Alberto Broch, o movimento sindical do campo precisa comemorar os 20 anos do Pronaf e ter orgulho de contribuído para construir esse programa. “Agora precisamos valorizar essas conquistas, mas ao mesmo tempo, ter a humildade de saber que precisam ser repensadas, porque em duas décadas a realidade mudou e políticas precisam de redirecionamento para que elas possam efetivamente contemplar o conjunto da agricultura familiar brasileira, especialmente a diversidade regional e ambiental que temos no Brasil”, afirmou. 
 
Alberto Broch destaca ainda que é necessário avançar na questão da agregação de valor da produção por meio da agroindustrialização. “Precisamos sair das políticas só de crédito, para passar para a politica da transformação, que é a gente produzir nossos produtos por meio da agroindustrialização, além de entrar na comercialização”. É nesse processo em que a assistência técnica e extensão rural se faz fundamental. “Daí a importância desse seminário, eu espero que ajude para que a Anater realmente possa funcionar com muita força e realmente ajudar a agricultura familiar em todas as dimensões e também na questão das agroindústrias”, explicou.
 
 
 
 
FONTE: Assessoria de Comunicação CONTAG - Lívia Barreto