sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

Fruticultores do Baixo Açu recebem títulos dos lotes neste sábado

O Governo do Estado entregará neste sábado (19), os títulos de 61 lotes de terras que compõem o Distrito Irrigado do Baixo Açu (Diba), na região que fica entre as cidades do Alto do Rodrigues e Ipanguçu e Afonso Bezerra.

A cerimônia acontece às 9h na sede do Diba, localizado às margens da rodovia RN-118 em Alto do Rodrigues, e contará com a presença do governador Robinson Faria e do secretário de Agricultura, Pecuária e Pesca, Haroldo Abuana.



A entrega dos títulos põe fim a uma espera de mais de 20 anos dos irrigantes do Baixo Açu, que só agora terão um documento que comprova a posse de suas terras.

Serão entregues cinco títulos definitivos e 39 contratos de concessão real de uso, que englobam 61 lotes no total, distribuídos em 2,4 mil hectares.

“O Governo não podia deixar aquela área tão importante na nossa cadeia produtiva sem regularização fundiária, que só trará benefícios para os produtores rurais do Baixo Açu. Atender a esse pleito foi uma prioridade do nosso governo”, destacou o governador Robinson Faria.

Para o secretário estadual de Agricultura, Pecuária e Pesca, Haroldo Abuana, a entrega dos títulos coroa o trabalho realizado pelo governo de regularizar a posse das terras.

“É um passo que damos para mudar de maneira significativa a realidade da agricultura irrigada do Rio Grande do Norte. Além de garantir os direitos dos proprietários das terras, vai abrir a possibilidade de novos investimentos na região”, frisa.

O Distrito Irrigado do Baixo Açu é uma parceria do Governo do Estado com o DNOCS. Cem lotes compõem a área do Governo e a partir de agora 61 serão regularizados com a entrega dos títulos.

O projeto do Distrito Irrigado do Baixo Açu começou a ser implantado nos anos 1980 em conjunto com vários outros (63) perímetros do Nordeste. A ideia era transformar o Vale do Açu em um grande centro da agroindústria no Rio Grande do Norte, a partir do transporte de água da recém-inaugurada barragem Armando Ribeiro Gonçalves, em 1983, para libertar os agricultores da dependência dos fenômenos naturais de seca e chuva.
fonte de mossoro hoje