sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Audiência: Presidente da Assembleia discute 'Grito da Seca' com governador em exercício



O presidente da Assembleia Legislativa do RN, deputado Ezequiel Ferreira de Souza (PMDB), teve uma audiência com o governador em exercício, Fábio Dantas (PCdoB), no início da manhã desta sexta-feira (26), na Governadoria.
Esta é a segunda vez que Fábio Dantas ocupa o cargo de governador interino.
"A visita ao amigo Fábio Dantas serviu para reforçar o apoio conjunto da ALRN e do Poder Executivo Estadual aos produtores rurais envolvidos no movimento do ‘Grito da Seca’ que pedem a revisão da Medida Provisória 707, que trata do endividamento rural. Esta luta também é nossa e vamos envolver toda a bancada federal", disse Ezequiel Ferreira, segundo destacado em informação da assessoria de imprensa do Legislativo.
Na quinta-feira (25) o governador em exercício teve um encontro com os coordenadores do movimento e assegurou incluir a pauta de reivindicações do grupo na agenda da próxima reunião de governadores do Nordeste com o Governo Federal.
"Entre elas: mais perfuração de poços, construção de cisternas, fornecimento de água via carro pipa, mais repasses do Governo Federal para ações de combate à seca, principalmente, para as obras de Oiticica", pontuou Ezequiel Ferreira de Souza, que preside o Comitê de Ações de Combate à Seca na ALRN.
O ‘Grito da Seca’ luta para modificar a Medida Provisória publicada em dezembro de 2015 pelo Governo Federal, prorrogando o prazo de pagamento de dívidas rurais realizadas até 2006 e que não estejam na Justiça.
Porém, a Comissão de Produtores Rurais do Estado afirma que apenas 5% dos detentores deste tipo de dívida no Rio Grande do Norte conseguem se beneficiar com a decisão.
Segundo a Comissão de Produtores Rurais do Estado do RN, as dívidas rurais no Estado somam mais de R$ 154 milhões de reais e 95% dos produtores desta área já estão com processos na Justiça.
A entidade elaborou um projeto que contempla todos os produtores para que este entre como uma nova emenda na Medida Provisória.
fonte do blog de deusdeth mauricio