quinta-feira, 3 de março de 2016

Regional Nordeste da Contag debate temas estruturantes para a vida do MSTTR e do País











Federações dos nove estados do Nordeste estão reunidas, no Recife/PE, no Encontro da Regional da Contag. A atividade, que começou ontem (02/03), traz, em sua pauta, debates fundamentais sobre a atual conjuntura do país e do próprio Movimento Sindical Rural. As mobilizações de massa, o conceito de agricultura familiar que o MSTTR quer fortalecer, a reorganização sindical e o Plano Sustentar são alguns dos temas trabalhados. Estão participando também da atividade os secretários da Contag Aristides Santos (Finanças e Administração); David Wylkerson (Política Agrícola), José Wilson de Souza (Políticas Sociais), Mazé Morais (Jovens) e Maria Lúcia Santos (Terceira Idade).

“O Nordeste tem uma importância muito grande para os debates políticos da Contag, especialmente neste novo momento que estamos vivendo, com o desmembramento das categorias da agricultura familiar e dos assalariados rurais. Isso aumenta muito a nossa responsabilidade. As federações aqui reunidas têm o papel de contribuir com a luta para o fortalecimento interno da Contag, nesse processo de mudança, mas também de incidir nesse cenário externo tão adverso, para evitar o golpe, manter a democracia e manter os direitos dos trabalhadores, que foram conquistados com muita luta “, avalia Aristide Santos.

Ele também destaca que existe a consciência de que as grandes mobilizações precisam ser feitas de forma diferente, inovadoras; e que temas como a reforma agrária e a defesas da previdência precisarão ser retomados com muita força. “Este será um ano de muita luta. Temos que ampliar nossas articulações com outras instituições, para colocarmos os nossos temas na pauta da sociedade”, destaca.

Para a coordenadora da Regional Nordeste da Contag, Joana D’arc Almeida, até o dia de amanhã (04/03), quando o encontro será finalizado, a grande expectativa é que seja assegurada a articulação do Nordeste diante da pauta geral. “Neste ano de 2016, a conjuntura requer, diante da grandeza do Nordeste, uma participação ainda maior e mais qualificada. É isso que estamos fazendo aqui, discutindo como vamos nos posicionar diante de cada tema que está pautado e em momentos como o Grito da Terra Brasil, que é uma grande ação de massa da Contag; e o 8 de Março, onde o Nordeste também tem a responsabilidade de pautar o debate de gênero, contra a violência e pela defesa dos direitos da mulheres. Então, temos muitas tarefas para pouco tempo, mas estamos com uma animação muito grande e o encontro está muito representativo”, analisa.

FONTE: Assessoria de Comunicação Ana Célia Floriano