terça-feira, 31 de maio de 2016

Lançada a Frente Parlamentar Mista em defesa da Previdência Social








FOTO: César Ramos




Trabalhadores e trabalhadoras rurais de todo o País participaram do lançamento da Frente Parlamentar Mista em Defesa da Previdência Social, no Senado Federal, nesta terça-feira (31), e reafirmaram o posicionamento já divulgado massivamente pela CONTAG de contrariedade à reforma da Previdência e de retirada de direitos da classe trabalhadora. Trabalhadores(as) urbanos também participaram do ato.

Na abertura e lançamento da Frente, o senador Paulo Paim, destacou a importância da Previdência Social. “A Previdência é nossa! Não há déficit na Previdência, ela é superavitária. Também não aceitaremos igualar a idade entre homens e mulheres para aposentadoria.”

A senadora Vanessa Graziotin ressaltou a importância da luta contra a reforma na Previdência. “Esse governo golpista não contava com um movimento de reação no país inteiro. Temos o dever de lutar para que a reforma não aconteça. Não vamos permitir que privatizem os nossos direitos.”

Durante a abertura, diversos senadores e deputados apoiaram a Frente Parlamentar Mista e reforçaram o coro contra a reforma da Previdência. Várias entidades também se posicionaram e uma delas foi a CONTAG.

O presidente da CONTAG, Alberto Broch, reafirmou que a Confederação, as Federações e Sindicatos se somam nessa grande luta em defesa da Previdência. “Esse governo golpista acabou com o Ministério da Previdência, que é histórico, e o vinculou ao Ministério da Fazenda. Querem tratar a Previdência como uma mercadoria e a Previdência é um patrimônio do Brasil. Vão tirar direitos dos trabalhadores e trabalhadoras. Como será para os trabalhadores e trabalhadoras rurais? Na Constituição de 1988 garantimos a aposentadoria por 1 salário mínimo para os rurais e a aposentadoria das mulheres, que antes não conseguiam se aposentar. Temos que fazer uma grande mobilização nacional para garantir a manutenção dessas conquistas”, conclamou o presidente.

A vice-presidente da CUT, Carmen Foro, ressaltou a necessidade de se construir uma unidade nacional em defesa da Previdência e contra a reforma. “Com a nossa unidade é que conseguiremos barrar essa reforma da Previdência. Na opinião da CUT, reforma será só para ampliar direitos. Se for para retirar, estaremos fora. Nós precisamos fazer uma ampla campanha para levar informações para a sociedade. E destaco que as mulheres serão as mais massacradas pela reforma da Previdência.”

João Paulo Ribeiro, secretário da CTB, destacou que essa é uma grande batalha. “Queremos uma reforma da Previdência só na perspectiva de devolver direitos que foram retirados no governo FHC e não retirar. Queremos construir uma unidade em defesa da Previdência. Conclamamos a unidade de todos. Viva a Previdência Social!”, destacou o sindicalista.

O seminário continua nesta tarde, com um painel com o tema “Desmistificando o Déficit da Previdência”, debates e apresentação de propostas para uma Previdência Social Pública, Justa e Solidária.

SOBRE A PREVIDÊNCIA SOCIAL RURAL
A Previdência Social Rural é uma política proveniente de conquistas históricas da classe trabalhadora e que vem transformando a área rural num importante espaço de vida e cidadania, impactando na garantia de renda para as famílias rurais. Entre 2005 e 2014, contribuiu para a redução de 1/3 da pobreza da população do campo.

A Previdência Social Rural produz melhorias nos padrões de qualidade de vida das famílias dos beneficiários(as) e é uma importante política de distribuição de renda e de fortalecimento da economia local de mais de 70% dos municípios brasileiros.
FONTE: Assessoria de Comunicação CONTAG - Verônica Tozzi