terça-feira, 5 de julho de 2016

Nossas conquistas estão ameaçadas e sendo substituídas

FOTO: César Ramos

“Estamos aqui lançando os desafios que a comunidade do campo precisa para ficar preparada  e sobretudo organizada, para responder os desafios que temos hoje. Primeiro lugar, o próprio medo de nos organizarmos, nos reposicionarmos frente ao governo ilegítimo de Temer, que vem propondo uma transformação regressiva nas políticas públicas, em especial aquelas que dizem respeito ao conjunto do povo brasileiro. O modelo de governo de Temer, é um governo para apenas um terço da sociedade. Isso significa dizer que todas as conquistas, sobretudo depois da constituição de 88 para cá, estão ameaçadas e sendo substituídas, e por isso, um melhor conhecimento da realidade, nos dará força para vencermos o medo, e propormos uma alternativa que recompõe o Brasil”.... A fala firme e convocatória do economista e professor da Universidade Federal de Campinas –SP, Marcio Pochmann, deu o tom do debate que vai se aprofundar durante todo o Seminário Nacional de Políticas Públicas Sociais e os Direitos dos sujeitos do campo, que teve início na tarde desta segunda-feira(04 de junho e segue até quarta-feira(06), na sede da CONTAG, em Brasília-DF.

O economista, que esteve abordando o tema: “Conjuntura atual das Políticas Sociais no Brasil”, ainda aproveitou o momento, para falar de vários pontos que merecem um olhar especial de todo o conjunto do MSTTR, como o fato de durante os últimos 30 anos não ter acontecido reformas no Brasil, a exemplo, da própria Reforma Agrária, que segundo Marcio Pochmann, deve vir agregada com outras políticas sociais.
Tocou sem nenhum arrodeio na questão dos direitos das mulheres, perguntando para os(as) presentes: como o Brasil, que tem no seu eleitorado, a maioria sendo mulher, pode ter tão pouca representatividade dela no Congresso Nacional? Como pode, a mulhere ter mais estudo que os homens, e ganhar menor salário?
Pochmann, ainda seguiu indagando... Qual a contribuição da nossa Comunicação? Ser impulsionadora das nossas bandeiras de luta, ou garantir visibilidade para os(as) dirigentes sindicais? Propaganda é gasto ou investimento na luta?
 
E ainda pontuou firmemente: Temos que formar gente qualificada... Temos que enfrentar o medo!
 
A fala do professor da Universidade Federal de Campinas –SP, Marcio Pochmann, aconteceu logo após a mesa política de abertura oficial do Seminário Nacional de Políticas Públicas Sociais e os Direitos dos sujeitos do campo, que contou com a presença  da diretoria executiva da CONTAG; do presidente da CONTAR, Antônio Lucas; do vice-presidente da Fiocruz,  Valcler Rangel; da pesquisadora da Fiocruz, Socorro Sousa, entre outros convidados(as) que contribuíram com a primeira mesa de debate do Seminário, coordenada pela secretária de Mulheres da CONTAG, Alessandra Lunas.
 
 
 “Que a CONTAG consiga garantir uma grande contribuição para que o MSTTR esteja mais preparado para responder todas essas questões, com uma participação mais efetiva e qualificada nos espaços de controle social. Outro objetivo é podermos aprofundar o papel das políticas públicas sociais considerando toda a diversidade que existe no nosso Brasil, levando em considerando o papel dessas políticas sociais no desenvolvimento das pessoas, o papel da redução da pobreza,  na melhoria de renda das pessoas e também no que essas políticas ajudam  os nossos representantes do MSTTR em ter uma participação mais efetiva nos espaços de debate participativo”, destaca o secretário de Políticas Sociais da CONTAG, José Wilson Gonçalves.
 
 
Com a participação de aproximadamente, 120 pessoas de todo o Brasil, entre eles e elas: (secretários(as) e assessores (as) de Políticas Sociais; secretários(as) de Terceira Idade, Juventude, Mulheres e Formação Sindical, e coordenadores(as) de Polos Sindicais ou Regionais do MSTTR), o Seminário segue nesta terça-feira( 05 de julho), com o tema: O pacto federativo, espaços de participação social e o papel da gestão municipal na garantia da assistência social como direito de cidadania, com o palestrante, Gilberto Carvalho, ex Ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República. 
 
O Papel do movimento sindical na gestão e controle social das políticas sociais, com vistas à promoção do desenvolvimento rural sustentável e solidário, será a terceira e ultima mesa de debate do Seminário, na quarta-feira(06), com o secretário de Políticas Sociais da CONTAG,  José Wilson e a pesquisadora da Fiocruz, Socorro Sousa.
 
Vale destacar que um dos momentos que também marca o Seminário, será o debate em grupos de trabalho, com o facilitador Valdevir Both, da CEAP-RS, tendo como questão orientadora: De que forma o MSTTR pode participar do processo de defesa das políticas sociais voltadas para o desenvolvimento rural sustentável e solidário?  
 
 
“Espero que depois dos 3 dias de reflexões, saiamos daqui com grandes encaminhamentos que reforcem nossas proposições para o Congresso da CONTAG, que acontece no próximo ano. Afirmamos sem medo, que seguiremos na luta para que não tenhamos retrocessos em nossos direitos. Pela volta do MDA e do Ministério da Previdência e por nenhuma perda de direito, ocupamos em um grande Ato no último dia 16 de junho, 4 Ministérios em Brasília e várias agências do INSS por todo o Brasil, foram mais de 130 mil trabalhadores e trabalhadoras mobilizados(as). Seguiremos sem dúvida nenhuma, reivindicando nossos direitos para o meio rural brasileiro”, ressaltou o presidente da CONTAG, Alberto Broch, durante sua fala na mesa de abertura do Seminário. 
 
 
FONTE: Assessoria de Comunicação CONTAG - Barack Fernande