segunda-feira, 5 de junho de 2017

Fetarn discute criação da Rede Palma







FOTO: Arquivo Pessoal


A região semiárida é caracterizada pela instabilidade climática, limitando às atividades de produção no Nordeste, que resulta na redução da disponibilidade de forragem no período seco e impactos negativos sobre a viabilidade técnica e econômica da produção animal. Neste ambiente de sequidão a palma forrageira tem sido uma alternativa ideal para melhorar a produtividade e garantir a sobrevivência dos animais.

Por entender tal importância, o presidente da Fetarn, Manoel Cândido e o assessor da Federação, Gilberto Silva, com representantes de diversas entidades técnicas e representativas do Nordeste, estiveram na sede da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene), em Recife, para discutir a criação de Rede palma. A Rede será um ambiente para fortalecer o fornecimento de alimentos para o rebanho animal do semiárido, onde a cultura se sobressai pela grande capacidade de resistência nas épocas de estiagem.

Em nome da CONTAG, Manoel Cândido, apresentou a proposta de colocar a cultura no rol de financiamentos nas linhas de investimento e não de custeio, como está atualmente.



Ao final da reunião, o Superintendente da Sudene, Marcelo José Almeida, se comprometeu em levar a discussão para o Ministério da Integração, Banco Central e demais entidades responsáveis pelo crédito no Brasil.

FONTE: Assessoria FETARN: Gilberto Silva