quarta-feira, 9 de setembro de 2015

CONTAG representa interesses dos (as) trabalhadores (as) rurais no Fórum de Debates sobre Políticas de Trabalho, Emprego, Renda e Previdência Social



A CONTAG define hoje (9) seus representantes em Grupos de Trabalho criados no âmbito do Fórum de Debates sobre Políticas de Trabalho, Emprego, Renda e Previdência Social - espaço instituído pelo governo federal no dia 2 de setembro de 2015 e que reúne entidades nacionais de representação dos trabalhadores, de aposentados, dos empregadores e também do governo federal. As reuniões do Fórum serão mensais e os participantes aprofundarão os temas específicos discutidos pelos participantes.

A CONTAG participará de dois grupos e um subgrupo de trabalho: o GT de Emprego e Renda, o GT de Previdência Social e o subGT de Direitos dos Aposentados. Um integrante e um suplente serão indicados hoje entre representações da secretaria de Assalariados e Assalariadas Rurais, secretaria de Políticas Sociais e secretaria de Terceira Idade da CONTAG.

As questões do Fórum são de extrema importância para o futuro do Brasil, pois os dados do IBGE apontam para os próximos 50 anos o crescimento da população idosa (aposentados e pensionistas) e a diminuição do número de pessoas economicamente ativas, que produzirão as riquezas necessárias para o avanço do país. Além disso, é preciso pensar sobre todos os fatores que influenciam a geração de empregos e a garantia de direitos trabalhistas conquistados historicamente com muita luta dos trabalhadores.

O secretário de Políticas Sociais da CONTAG, José Wilson Gonçalves, participou ontem (8), em São Paulo, de reunião com o Dieese, e representantes das centrais sindicais e entidades como a Confederação Brasileira de Aposentados e Pensionistas (Copab) e o Sindicato Nacional dos Aposentados, para definir a composição dos grupos de trabalho e como os movimentos sociais organizarão a participação dentro do Fórum. “Buscamos alinhamento e unidade em torno dos grandes temas, e também começamos a definir o que vamos abordar prioritariamente em um cenário político onde não há ambiente para discussão nem no Congresso Nacional nem com o Governo Federal”, aponta José Wilson Gonçalves.

Para o dirigente, “o Fórum de Debates sobre Políticas de Trabalho, Emprego, Renda e Previdência Social é uma importante oportunidade para que as entidades de representação dos trabalhadores possam discutir qual a contribuição possível nesse momento em que o governo abre espaço para as organizações representativas das categorias no Brasil e da classe trabalhadora no sentido de avançar em temas necessários e que precisam ser discutidos como o alto índice de informalidade no campo brasileiro e o descumprimento de diretos trabalhistas de assalariados e assalariadas rurais”.

FONTE: Assessoria de Comunicação CONTAG - Lívia Barreto