sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

Governo entrega 1,7 mil cisternas em escolas no Semiárido em 2015


Com orçamento de R$ 69 milhões, programa vai construir 5 mil reservatórios de água até o final deste ano, ajudando a combater evasão escolar

Sérgio Amaral/MDSCisterna garante água de qualidade em escola em Itapipoca (CE)
Cisterna garante água de qualidade em escola em Itapipoca (CE)
Balanço do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) indica que foram construídas 1,7 mil cisternas para captação de água da chuva em escolas públicas do Semiárido em 2015. A ação foi possível graças à parceria da Articulação no Semiárido Brasileiro (ASA), com investimentos de R$ 23 milhões no programa Cisternas nas Escolas.
O acesso à água é fundamental para garantir que os estudantes permaneçam em sala de aula durante o período de estiagem na região, além de combater a insegurança alimentar e nutricional.
Cronograma
Com orçamento total de R$ 69 milhões, o programa vai entregar 5 mil reservatórios até o final deste ano. Serão 255 municípios beneficiados nos Estados de Alagoas, Bahia, Ceará, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe.
“A água armazenada serve tanto para consumo como para o preparo dos alimentos da merenda escolar. É um direito das crianças terem água de qualidade”, destaca o secretário nacional de Segurança Alimentar e Nutricional do MDS, Arnoldo de Campos.
O sistema
O sistema permite a captação de água da chuva que é armazenada em um reservatório com capacidade para até 52 mil litros de água. Construída com placas de cimento, a cisterna garante água de qualidade por até oito meses. “Os reservatórios também evitam a contaminação por verminoses e doenças, contribuindo para que as crianças entendam como conviver com a seca”, explica o secretário.
Cada cisterna tem um custo médio de R$ 13 mil. Antes da construção do reservatório, pais e funcionários das escolas aprendem como armazenar e tratar a água. Durante a capacitação, também são abordados temas como higiene, segurança alimentar e nutricional e como conviver com a seca.
Fonte: Portal Brasil, com informações do MDS