segunda-feira, 30 de maio de 2016

Encontro Nacional de Reforma Agrária e Crédito Fundiário analisa conjuntura política e ações de acesso a terra em todo o Brasil








FOTO: César Ramos




Presidentes, secretários(as) de Política Agrária, assessores e consultores do crédito fundiário das Federações filiadas participam, em Brasília, do Encontro Nacional de Reforma Agrária e Crédito Fundiário, que acontece nos dias 30 e 31 de maio de 2016. A atividade foi iniciada pela manhã, com a participação de toda a Diretoria da CONTAG, com uma profunda análise da conjuntura agrária. As lideranças sindicais destacaram suas preocupações a partir da extinção do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), bem como os riscos para a classe trabalhadora com as possíveis reformas que possam acontecer, como as da Previdência Social e Trabalhistas.

O encontro também tem como objetivos avaliar as etapas de execução do Programa Nacional de Crédito Fundiário (PNCF); definir desdobramentos e encaminhamentos que assegurem a continuidade das ações sindicais na base do MSTTR; compreender os impactos e alterações na execução das políticas públicas voltadas à questão agrária e fundiária; definir encaminhamentos e ações sindicais que visam fortalecer os processos de obtenção de terras e a garantia de políticas públicas no campo; realizar balanço da conclusão das renegociações das dívidas dos beneficiários(as) do PNCF; entre outros.

Até o final deste encontro deve sair o encaminhamento da realização de um grande ato contra a extinção do Ministério do Desenvolvimento Agrário e do Ministério da Previdência Social, contra a reforma da Previdência e entre outras medidas já anunciadas pelo governo interino de Michel Temer que impactam diretamente na vida e trabalho das populações do campo, da floresta e das águas.

Portanto, para o secretário de Política Agrária da CONTAG, “a expectativa é que este encontro produza bons debates e encaminhamentos para o fortalecimento da luta dos trabalhadores e trabalhadoras com terra e sem terra, bem como para o desenvolvimento rural de forma sustentável e solidária com a manutenção de políticas estruturantes como a reforma agrária, o crédito fundiário e outras políticas públicas.”
FONTE: Assessoria de Comunicação CONTAG - Verônica Tozzi