sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

STF autoriza quebra de sigilo fiscal de Eduardo Cunha e família

Foto: Folhapress



O ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou a quebra de sigilos bancário e fiscal do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), da esposa dele, Cláudia Cruz, da filha, Danielle, e de empresas ligadas à família.

A informação foi publicada em reportagem da edição desta sexta-feira (8) do jornal "Folha de S.Paulo" e confirmada pela Procuradoria-Geral da República (PGR). A decisão de Teori, que atende a um pedido da PGR, é de outubro de 2015.

O deputado, a mulher e a filha são investigados no Supremo por suspeita de terem mantido contas secretas no exterior que teriam sido abastecidas com recursos desviados de negócios da Petrobras na África.

Parte dos dados fiscais já foram enviados pela Receita Fiscal aos procuradores que atuam na Lava Jato e embasaram o pedido de busca e apreensão na residência oficial da Câmara e endereços relacionados ao parlamentar, realizada em dezembro com autorização do STF.

Com a quebra dos sigilos, os investigadores pretendem mapear as movimentações financeiras de Cunha e eventuais ações irregulares de suas empresas.

De acordo com a reportagem da "Folha", entre as empresas de Cunha que são alvo da quebra de sigilo estão a Jesus.com, C3 Produções e Rádio. O jornal afirma que os investigadores suspeitam que contas na Suíça repassaram dinheiro para essas companhias.

O presidente da Câmara disse que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, atua politicamente escolhendo a quem investigar e que essa decisão era antiga.
fonte do site mossoro hoje